O Facebook explicou como está a perfilar “não utilizadores” na Internet e para quais fins está a usar os seus metadados.

O Facebook ainda está no meio de uma tempestade, por um lado devido à sua conduta e também pela maneira como abordou a privacidade dos utilizadores  após o caso da Cambridge Analytica.

O Facebook está a sofrer uma análise profunda, e isto agravou-se, pois Mark Zuckerberg testemunhou no Congresso dos EUA que o Facebook divulgou mais informações sobre a atividade dos utilizadores e que também reuniam informações relacionadas a utilizadores não-Facebook, i.e., utilizadores sem registo na rede social.

Já pensou que, mesmo não usando o Facebook, a rede social poderia ter em sua posse metadados que só a si dizem respeito?

 

Sim, é verdade! O Facebook pode fazer o “tracking”, mesmo quando o utilizador não está registado na rede social. Isto é possível quando visitamos um site ou uma aplicação que usa os serviços da gigante tecnologica.

Os serviços incluem plug-ins sociais (por exemplo, botões Like e Partilhar), login do Facebook, análise do Facebook e anúncios e ferramentas de medição.

“When you visit a site or app that uses our services, we receive information even if you’re logged out or don’t have a Facebook account. This is because other apps and sites don’t know who is using Facebook.” explained product management director David Baser.

“Many companies offer these types of services and, like Facebook, they also get information from the apps and sites that use them. Twitter, Pinterest and LinkedIn all have similar Like and Share buttons to help people share things on their services. Google has a popular analytics service. And Amazon, Google and Twitter all offer login features.”

 

O Facebook não será um caso “virgem” neste aspeto, pois como podemos imaginar, todas as empresas também oferecem serviços de publicidade direcionados, aproveitando as informações recolhidas através dos seus próprios serviços.

Toda vez que um utilizador visita um site, o navegador de Internet partilha com o serviço o endereço IP do utilizador, juntamente com informações sobre a máquina (por exemplo, o tipo de navegador, a sua versão, o sistema operativo) e cookies. O Facebook também regista os dados relacionados ao site ou aplicação que o utilizador visita.

Já visitou uma loja de eletrodomésticos e, consequentemente perguntou a si próprio: Mas por que raio estou a receber promoções de micro-ondas no Facebook?

 

Segundo Baser, a plataforma de redes sociais utiliza as informações recebidas de sites e aplicações, para melhorar os seus serviços, para direcionar a publicidade e melhorar a segurança no Facebook.

Facebook-Cambridge-Analytica

 

Os dados recolhidos pela empresa também permitem medir o sucesso de suas campanhas publicitárias.

Segundo o Facebook, a rede social também usa essas informações para evitar abusos e identificar agentes de ameaças direcionados a seus utilizadores.

“If someone tries to log into your account using an IP address from a different country, we might ask some questions to verify it’s you. Or if a browser has visited hundreds of sites in the last five minutes, that’s a sign the device might be a bot.” 

 

Reveja a forma como expõe a sua informação online. Seja cuidadoso!

Pedro Tavares is a professional in the field of information security, currently working as IT Security Engineer. He is also a founding member and Pentester at CSIRT.UBI and founder of the security computer blog seguranca-informatica.pt.

In recent years he has invested in the field of information security, exploring and analyzing a wide range of topics, such as pentesting (Kali Linux), malware, hacking, cybersecurity, IoT and security in computer networks.  He is also Freelance Writer.

Read more here.