Plugins antigos do plugin Duplicator do WordPress estão a deixar os  websites abertos a ataques de execução remota de código (RCE).

Investigadores estão a alertar de uma vaga de ataques que estão a abusar de uma vulnerabilidade nas versões desatualizadas de um plug-in de migração chamado Duplicator no CMS WordPress, permitindo assim a execução remota de código por parte dos criminosos.

Todos os plugins Duplicator anteriores à versão 1.2.42 estão vulneráveis ao ataque. Como o nome sugere, o plug-in facilita a migração de um website baseado em WordPress para outro host, ou mesmo a criação de um website duplicado – um clone.

O plugin depois de utilizado, não remove ficheiros sensíveis como p.ex., o ficheiro “installer.php” e “installer-backup.php” e que podem ser usados depois da migração para injetar código malicioso, e permitindo a criação de código arbitrário especialmente desenhado.

“WordPress Duplicator does not remove sensitive files after the restoration process,” wrote researchers at Synacktiv (PDF) last month. “Indeed, the installer.php and installer-backup.php files can be reused after the restoration process to inject malicious PHP code in the wp-config.php file. Thus, an attacker could abuse these scripts to execute arbitrary code on the server and take it over.”

 

Na sexta-feira, investigadores da Sucuri disseram que estavam a notar um aumento no número de casos em que os invasores estavam a reescrever o ficheiro wp-config.php, e que levaria ao takedown do sistema até que o ficheiro fosse revertido.

“These cases are all linked to the same vulnerable software: WordPress Duplicator Plugin,” said Peter Gramantik, a malware researcher with Sucuri. “To eliminate the risk of attack, you can check your site’s root folder and remove the installer.php file. This is not a vital site file and just a leftover after site migration.”

 

Gramantik disse que a Snap Creek Software abordou uma vulnerabilidade similar de XSS  (CVE-2017-16815), que impactava a versão 1.2.30, reportada em novembro de 2017.

Um aviso adicional foi emitido pelo Wordfense no início deste mês. Especialistas notam que o bug não está presente no próprio diretório do plugin Duplicator.

“The flaw becomes exposed when using Duplicator to migrate or restore a backed-up copy of a WordPress site,” wrote Mikey Veenstra, in a Wordfence bulletin.

“We’ve also seen attackers supplying remote database credentials to connect the WordPress site to a database under the attacker’s control. From there, the attacker can login using their own admin user accounts, and upload a malicious plugin or theme in order to fully compromise the site,” wrote Matt Barry, Wordfence engineer in an email interview with Threatpost.

 

A vulnerabilidade é adicionada ao sistema sempre que o plugin e usado. Dessa maneira é dificil estimar o número de websites afetados, no entanto o plugin foi instalado 1 milhão de vezes.

Sucuri researchers note that the group of impacted users might further be winnowed down by the fact that vulnerable users would have to meet the following conditions:

  • The installer.php file must have been generated by Duplicator plugin
  • The installer.php file must be left on the site’s root folder
  • The installer version must be older than 1.2.42

 

Os investigadores da Synacktiv endereçaram o bug pela primeira vez à Snap Creek Software em 13 de julho de 2018. Um patch foi implantado em 24 de agosto de 2018. A empresa publicou o primeiro alerta sobre a vulnerabilidade em 29 de agosto.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *