Reading Time: 2 minutes

A vulnerabilidade afeta provavelmente qualquer aplicação iOS e MacOS que use o mecanismo de renderização do Webkit para exibir páginas web. A Apple está a investigar o problema.

Um investigador de segurança descobriu uma vulnerabilidade no mecanismo de renderização do WebKit usado pelo Safari que bloqueia e reinicia o sistema operativo iOS usado por iPhones e iPads.

A vulnerabilidade pode ser explorada ao carregar uma página HTML que usa código CSS  para devido propósito. O código CSS não é muito complexo, e tenta aplicar um efeito CSS conhecido como ” backdrop-filter” a uma série de segmentos de página aninhados (DIVs).

Backdrop-filter  é uma propriedade relativamente nova do CSS e funciona por desfoque ou mudança de cor para a área atrás de um elemento. Essa é uma tarefa pesada de processamento, e alguns engenheiros de software e developers especularam que a renderização desse efeito prejudica a biblioteca de processamento de gráficos do iOS, levando a uma queda completa do sistema operativo móvel.

Sabri Haddouche, engenheiro de software e investigador de segurança da app  Wire, foi quem descobriu a vulnerabilidade e publicou o PoC no Twitter.

 

Este link irá bloquear seu dispositivo iOS, enquanto este link mostra o código-fonte por trás da vulnerabilidade. Haddouche também twittou um vídeo da vulnerabilidade que bloqueava o seu smartphone.

O ataque usa uma fraqueza na propriedade CSS -webkit-backdrop-filter, que usa a aceleração 3D para processar os elementos.

“By using nested divs with that property, we can quickly consume all graphic resources and freeze or kernel panic the OS.”

 

Haddouche disse que a vulnerabilidade também afeta os sistemas macOS e não apenas o iOS.

“With the current attack (CSS/HTML only), it will just freeze Safari for a minute then slow it down,” the researcher said. “You will be able to close the tab afterward.”

“To make it work on macOS, it requires a modified version containing Javascript,” he added. “The reason why I did not publish it is that it seems that Safari persists after a forced reboot and the browser is launched again, therefore bricking the user’s session as the malicious page is executed once again.”

 

O investigador disse que ele já notificou a Apple sobre o problema antes de publicar o código no Twitter.

“I contacted them using their security product email,” Haddouche said. “They confirmed they received the issue and are investigating it.”

 

Haddouche disse que descobriu a vulnerabilidade enquanto procurava bugs de negação de serviço (DoS) em vários navegadores de Internet. No início do mês, Haddouche também publicou outra exploração que bloqueava o Chrome e o Chrome OS com uma linha de JavaScript.

 

 

Pedro Tavares is a professional in the field of information security, working as an Ethical Hacker, Malware Analyst, Cybersecurity Analyst and also a Security Evangelist. He is also a founding member and Pentester at CSIRT.UBI and founder of the security computer blog seguranca-informatica.pt.

In recent years he has invested in the field of information security, exploring and analyzing a wide range of topics, such as pentesting (Kali Linux), malware, hacking, cybersecurity, IoT and security in computer networks.  He is also Freelance Writer.

Read more here.