Reading Time: 2 minutes

Google+ atingido por uma nova falha o que acelera o fecho da plataforma. 52,5 milhões de contas em risco, dezenas de pessoas estão preocupadas.

O Google diz que está a acelerar o desmantelamento de sua rede social do Google+ após a descoberta de um novo bug de segurança que afetou 52,5 milhões de utilizadores.

A Fábrica de Chocolate afirma que não há evidências de que a vulnerabilidade identificada na API do Google+ tenha sido explorada in-the-wild.

De acordo com o vice-presidente de gestão de produtos do Google, David Thacker, durante um período de seis dias em novembro, os programadores  conseguiram aceder as informações de perfil que os utilizadores não haviam tornado públicas.

O Google disse que a vulnerabilidade aparece quando o utilizador permite que uma app se ligue ao perfil do Google+. Em vez de apenas ver as informações que o utilizador optou por partilhar, a app poderia ver todos os dados sobre o seu perfil.

“We discovered this bug as part of our standard and ongoing testing procedures and fixed it within a week of it being introduced,” Thacker said.

“No third party compromised our systems, and we have no evidence that the app developers that inadvertently had this access for six days were aware of it or misused it in any way.”

O Google diz que vai encerrar o Google Plus em abril de 2019, cinco meses antes do anúncio anterior.

“With the discovery of this new bug, we have decided to expedite the shut-down of all Google+ APIs; this will occur within the next 90 days,” Thacker told users.

“In addition, we have also decided to accelerate the sunsetting of consumer Google+ from August 2019 to April 2019. While we recognize there are implications for developers, we want to ensure the protection of our users.”

Para corroborar basta olhar para 2015 e março de 2018,  onde existiu um  um sério buraco de privacidade na rede social do Google+, que significou que nomes de utilizadores, endereços de e-mail, datas de nascimento, géneros, fotos de perfil, locais, status de relacionamento e ocupações foram expostos a terceiros por meio de um bug da sua própria API.

Depois de um primeiro anúncio que demonstrava que o Google iria “matar” o Google+, com este novo incidente esse processo ajudou a acelerar o fim da rede social que em tempos se pensou ser um concorrente direto do Facebook.