Reading Time: 1 minute

A Boing foi atingida pelo malware WannaCry, mas depressa fez saber que o ataque causou poucos danos na infraestrutura da empresa.

A Boing foi atingida na quarta-feira passada, dia 28 de março, pelo malware WannCry. Após um susto inicial, e que preocupava os técnicos relativamente a repercussões desastrosas, os executivos da empresa ofereceram garantias de que o ataque foi aniquilado com danos mínimos.

Embora a notícia tivesse despoletado um alarme generalizado na empresa de aviação e nos seus clientes, a Boing pedia a todos para manterem a calma.

“Fizemos uma avaliação final”, disse Linda Mills, chefe de comunicações da Boeing Commercial Airplanes. “A vulnerabilidade foi limitada a algumas máquinas. Nós implantamos patches de software. Não houve interrupção do programa do jato 777 ou de qualquer um dos nossos programas. ”

 

No começo do dia, quando o ataque ocorreu, a reação não foi nada calma.

Mike VanderWel, engenheiro-chefe da engenharia de produção da Boeing Commercial Airplane, enviou um alerta alarmante sobre o malware que pedia “todas as mãos no convés”.

A mensagem de VanderWel dizia que o ataque exigia “uma resposta semelhante a uma bateria”, uma referência aos incêndios de bateria em voo do 787 em 2013 que aterrissaram a frota mundial de Dreamliners e levou a um extraordinário esforço de engenharia de três meses para encontrar uma solução.

Estamos em uma chamada com quase todos os VPs da Boeing”, disse o memorando de VanderWel.

Nosso centro de operações cibersegurança detectou uma intrusão limitada de malware que afetou um pequeno número de sistemas”, afirmou.

Ler mais aqui: https://www.seattletimes.com/business/boeing-aerospace/boeing-hit-by-wannacry-virus-fears-it-could-cripple-some-jet-production/